AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

quarta-feira, 15 de setembro de 2021

Enviar os meus Abraços

 


Quero enviar alguns abraços apertados

Tenho que escolher o modo de expedição

Desejo que cheguem aos mais necessitados

E àqueles a quem é preciso aconchego no coração

 

Se os abraços me sobram e são de graça

Porque não os hei-de distribuir?

Não interessa no fim dar a carcaça

Se ninguém quis o festim dividir

 

Quero que os meus abraços cheguem intactos

E levem o carinho com que os estou a partilhar

O pouco que, por vezes, temos em nossos pratos

Deve dar sempre para noutros pratos colocar

 

Que me sobre sempre um abraço verdadeiro

Insisto em enviá-lo a quem dele carecer

Repartir o bem sem ser pedido primeiro

Faz o mal, de tanta vergonha, se esconder


quarta-feira, 8 de setembro de 2021

Lena Costureira

 


A Madalena trata a vida com bastante à vontade

Os anos que carrega permitem-lhe tal liberdade

Desde catraia que aprendeu a lição da costura

E até aos dias de hoje tem sido a sua aventura

Entre tecidos e agulhas, tudo feito à mão

O cuidado continua o mesmo, vem do coração

Hoje com a moda sempre em reboliço

O trabalho é pouco, mas ainda paga o serviço

As vizinhas têm sempre uma bainha para subir

Nem que seja somente para deixar a conversa fluir

É carinhosamente chamada de Lena costureira

Seja arranjo ou novo, o trabalho é de primeira

Nos dias de sol, trabalha de janela aberta

E é vê-la agarrada aos tecidos, a vista sempre esperta

O marido entretém-se no pequeno quintal nas traseiras

Diz que estar parado é pior que calote nas feiras

A Lena há-de costurar até ao último dia

Quem trabalha por gosto, nunca perde a alegria


quinta-feira, 2 de setembro de 2021

Sacias-me a sede

 


Como a água que corre no rio, sem nunca voltar atrás

Sei que nunca findará o meu pavio, porque Tu deste-me a paz

Não tenho palavras suficientes, nem o gesto mais adequado

Para agradecer os Teus presentes, por nunca me teres abandonado

 

Sei que caminhaste a meu lado, senti a Tua mão na minha

O fardo deixou de ser tão pesado, porque minha alma com a Tua caminha

Quero cair a Teus pés, desarmada, que todas as graças sejam Tuas

Nesta guerra não saí derrotada, soubeste guiar-me por todas as ruas

 

O vazio encheu-se de luz e esperança, vindas do Teu poderoso amor

Sorrio agora com os lábios de uma criança, porque és o meu Criador

Não mereço tamanha bênção, espero manter-me no caminho certo

Anseio pela minha redenção, Tu sacias a sede no meu deserto


segunda-feira, 30 de agosto de 2021

Aprender a contar (Poesia Infantil)

 



Estou a aprender a contar

E até dez já conto sozinho

Qualquer dia já sei somar

E contar mais um bocadinho

 

Comecei a contar até três

Depois até ao número seis

Agora até ao dez é tudo de uma vez

E estou quase a chegar ao dezasseis

 

Quando souber contar até cem

Vou ser a criança mais feliz

Aprender faz-nos muito bem

Saber contar é o que sempre quis

 

Gosto dos algarismos, cada um diferente

E vou aprendê-los todos até ao fim

Os números são amigos de toda gente

São alegres e variados como um jardim


quarta-feira, 18 de agosto de 2021

Afogar em chão seco

 


O medo decidiu ter aulas de natação

Para não se afogar nas minhas lágrimas salgadas

Há quem se afogue em seco chão

Sem nunca ter, sequer, as mãos molhadas

 

O desassossego é pesado e teimoso

Nunca tem mais nenhum compromisso

Já lhe disse que o acho espalhafatoso

Não me faz falta, nem para encher chouriço

 

A tristeza dilacera as entranhas

A angústia é desmoralizante

As alegrias são-me todas estranhas

A escuridão tornou-se a minha acompanhante


domingo, 15 de agosto de 2021

O comboio partiu

 


Perdi o comboio para te ir visitar

Juro que acordei cedo, mas demorei a despachar

Quando cheguei à estação, o deserto imperava

Tinha partido o comboio e já ninguém esperava

Tão cedo não vai sair mais nenhum transporte

Estou em maré de azar, perdi também a sorte

Tinha o dia todo planeado, ia ser especial

Piquenique no parque e passeio na marginal

Amanhã vou madrugar no banco da estação

Vou chegar a horas, não vou deixar-te na mão

Vais ver-me chegar de sorriso rasgado

O dia será contigo, um amor lado a lado


segunda-feira, 2 de agosto de 2021

Data de Validade

 


Se tivéssemos nascido com a data de validade visível

Tatuada nas costas da mão em tinta preta bem carregada

Cada vez que apontássemos o dedo de forma desprezível

Talvez nos lembrássemos que a vida não é para ser odiada

 

Se todas as noites ao deitar olhássemos a data

E soubéssemos que somos apenas um viajante

Talvez conseguíssemos dar mais valor à prata

Porque nem tudo o que brilha é ouro ou diamante

 

Se ao lermos a data de quem nos estende a mão

Não julgássemos só porque estão vazios os dedos

Talvez aprendêssemos a reconhecer a necessidade do irmão

E a aprender a evitar os estragos causados pelos segredos

 

Se ao nascer de cada dia sorríssemos ao ver a data de validade

Sabendo que estamos a fazer o melhor pelo tempo de estadia

O mundo transbordaria de um excesso de humanidade

E a altura da partida seria apenas uma mudança de moradia


quarta-feira, 21 de julho de 2021

A Casa Amarela - Poesia Infantil

 


Existe uma casa amarela no fim da nossa rua

De dia o sol faz-lhe companhia, de noite é a lua

Tem um jardim cheio de flores coloridas

Mas as que mais gosto são as margaridas

No quintal da casa existe um baloiço feito à mão

Está pendurado numa árvore bem longe do chão

A sua cor amarela é a mais linda do lugar

As telhas são castanhas, ficam mesmo a combinar

Mora lá um casal muito simpático de meia idade

São avós de duas meninas que moram noutra cidade

A casa tem janelas brancas com cortinas rendadas

Pode ser pequena, mas é das mais apreciadas

Gosto de morar na rua da casa amarela

A sua cor alegra todos os que passam por ela 


quarta-feira, 14 de julho de 2021

Ganhei ao meu vilão

 


É no verde das plantas onde busco a esperança

É nos raios de sol onde busco a inspiração

Foi com as plantas que criei uma aliança

Foi com os raios de sol que criei a minha gratidão

 

É no chilrear dos pássaros que encontro a tranquilidade

É nas gotas de chuva que encontro a sensatez

Foi com os pássaros que aprendi a liberdade

Foi com as gotas de chuva que aprendi a pacatez

 

É na escuridão da noite que conheço a solidão

É no calor da lareira que conheço o aconchego

Foi com a escuridão da noite que ganhei ao meu vilão

Foi com o calor da lareira que ganhei o meu sossego



sexta-feira, 2 de julho de 2021

Nossa Senhora meu escudo protector

 


Apazigua meus sonhos na noite vagarosa

Inunda-me com a Tua bênção gloriosa

Nossa Senhora és o aconchego na madrugada

Faz-me encontrar a Tua mão, meu porto seguro

Ilumina-me com a Tua luz neste espaço escuro

Nossa Senhora alivia-me a alma pesada

 

Deixa-me duplicar Teus passos no meu caminho

O medo ao ver-Te comigo sente-se mais sozinho

Nossa Senhora és o meu escudo protector

Interfere nos meus pensamentos, deixa-os claros como água

Enche-me da Tua paz, esvazia-me de toda a mágoa

Nossa Senhora contigo conheci o puro amor

 

Se eu me perder com preocupações vãs

Traz-me de volta à estrada das mentes sãs

Nossa Senhora segura-me pela mão com firmeza

Ao terminar mais um dia por Ti abençoado

Prometo nunca esquecer a gratidão num obrigado

Nossa Senhora és a Rainha da mais alta realeza


quarta-feira, 23 de junho de 2021

O que queremos ver

 


Encontrei pedaços de papel rasgado

Não percebi a caligrafia, estava rasurado

Pensei juntar todos os pedacinhos

Mas não se tapavam todos os buraquinhos

Seriam palavras de um amor de novela,

Ou frases tristes da partida num barco á vela?

Apesar da curiosidade em estado de alerta

Joguei tudo no lixo, decisão esperta

Induzi a minha mente a esquecer o papel

E desenhei uma bonita paisagem a pincel

Só vemos o que realmente queremos ver

E só percebemos o que queremos entender

O bom da vida é o privilégio da decisão

Aliar uma mente sã a um puro coração


quinta-feira, 17 de junho de 2021

Leve como a farinha

 


Vou partir sem destino e sem preparação

Seguirei pelo caminho que me causar maior emoção

Não estabeleci metas nem espero alcançar conquistas

Quero apenas caminhar sem datas previstas

 

As pausas que fizer para recarregar baterias

Serão as que quiser e sem tempo contado

Se os dias forem quentes e as noites frias

Seguirei no escuro debaixo do céu estrelado

 

Vou partir sem bagagem e sem inutilidades

Para atraso de vida já me bastam as falsidades

Quando souber que cheguei ao fim da linha

Viverei mais calma e leve como a farinha 


sexta-feira, 11 de junho de 2021

Acto de Excelência

 


Um olhar, um sorriso, um toque desejado

Um carinho, um aconchego, sem tempo contado

Um beijo, um abraço, amar despretensioso

Um amparo, uma força, amor luminoso

Dividir as durezas do compromisso assumido

Repartir os frutos do companheirismo adquirido

Aprender com o amor que sofrer é uma etapa

Um super-herói nunca precisa de capa

Dar as mãos é segurar o amor com inteligência

Saber guiá-lo pela vida é um acto de excelência

Pobre de quem não ama de coração puro

Será rico em desapego sem nunca estar seguro

A paixão é o fósforo que acende a lareira

O amor é a lenha que a mantém acesa a noite inteira


terça-feira, 8 de junho de 2021

Avelino Parolo

 


O Avelino já vai a medir a rua

E a falar alto como um tolo

Quando bebe às vezes amua

Mas hoje age como um parolo

 

Os tropeções são aos montes

Mas nada para o Avelino

Quem bebe em muitas fontes

Acaba sempre por perder o tino

 

No caminho cumprimenta a quem o olha

A educação fica apurada com a bebedeira

Quem o conhece perdoa-lhe mais uma molha

O pobre Avelino adora o fruto da videira

 

Dizem que nunca casou porque era muito vadio

Coitada da mulher que o aturasse neste estado

Assim o Avelino amigou-se ao tinto escorregadio

E não podia, diz ele, ter melhor casado


quinta-feira, 3 de junho de 2021

O amor partiu de manhã

 


Hoje de manhã, o amor fez a mala

Chamou um táxi e esperou na sala

Permaneceu em silêncio, sentado na cadeira

Uma mão no colo outra na algibeira

A noite anterior foi difícil e muito dura

Depois do que foi dito, restou apenas a ruptura

Nenhum de nós quis dar uma nova oportunidade

A lembrança dos bons momentos passou da validade

Olhei-o mais uma vez, encostada à porta

Não retribuiu o olhar, já nada lhe importa

Ouviu-se um apito vindo do exterior

O carro tinha chegado para levar o amor

Pegou na mala e saiu sem dizer adeus

Com o desapego dos que se dizem ateus

Quando chegar ao destino e abrir a mala

Vai ficar surpreendido e até sem fala

Escrevi-lhe uma carta, a despedida possível

Agradecendo o que vivemos, que foi inesquecível


terça-feira, 1 de junho de 2021

Dia da Criança ♥

 

Ser criança é ser sorriso
é dar gargalhadas, ter pouco siso.
Ser criança é não deixar de sonhar
viver o momento e sempre acreditar.
Ser criança é saber cair
magoar os joelhos, mas sempre a sorrir.
Ser criança é jogar ao berlinde
marcar mais pontos, antes que o jogo finde.
Ser criança é brincar ao herói e ao bandido
não importa quem ganha, não é tempo perdido.
Ser criança é cantar uma canção,
é andar de bicicleta, por vezes em contramão,
Ser criança é um arco-íris pintar
misturando as cores, inventar!
Ser criança é ser o Sol,
ser feliz, ter esperança
por isso dai-nos um sonho
e deixai-nos ser criança!

  ♥♥♥

Com um pacote de berlindes
E uma fisga sempre na mão
Criança é este ser de simplicidade
Que a brincar alegra o seu coração

Desejam que o Sol regresse de manhã
Porque os jogos não se começam sozinhos
Crianças são as gotas de orvalho
Que refrescam os dias aos pouquinhos

Criança, sorriso, meiguice
Mundo de encantar tão desejado
Criança, pequena promessa
De um sonho que dorme encantado.

  ♥♥♥

Joelhos esfolados

olhos esbugalhados

um sonho no olhar

um único desejo de brincar

luzinhas cintilantes

no mundo de faz de conta

porque para a brincadeira

têm sempre a alma pronta

vivem para o sorriso

porque o que é preciso

é saber acreditar

que diariamente é preciso sonhar

criança é ser esperança

de um futuro risonho

é dar e receber amor

criança é o fruto do sonho.



sexta-feira, 28 de maio de 2021

O meu Deus é recto

 


Por vezes tenho medo de iniciar a caminhada

Sinto a fraqueza dos que desistem à primeira

Nessas alturas dou por mim numa luta desarmada

Então ergo as mãos numa oração desesperada

Peço ao meu Deus que me livre de qualquer rasteira

 

O medo insiste em juntar-se ao trajecto

É tão espaçoso e difícil de despachar

Digo-lhe que não faz parte do projecto

Que o meu Deus é sempre recto

Mas ele tem argumentos duros de derrotar

 

Os meus passos são rápidos e nervosos

O raciocínio perde-se com as minhas lamúrias

Peço ao meu Deus actos mais corajosos

Vou crescendo com a coragem dos ansiosos

E guardando no peito todas as minhas fúrias

 

No meu Deus encontro a paz e o aconchego

A minha dor fica calma, quase adormece

Não oiço barulho, sinto um enorme sossego

Ser filha do meu Deus é o melhor emprego

Não há melhor tarefa que construir uma prece



terça-feira, 25 de maio de 2021

Pisar os Calos

 


Se te pisam os calos intencionalmente

Mesmo com dor segue em frente

Nunca digas para onde pretendes seguir

Há quem te queira acompanhar apenas para te denegrir

Guarda no coração os teus planos e desejos

A quem muito te pergunta responde com bocejos

Quem cala nem sempre consente

Apenas quer evitar certa gente

Ouvir palavreado chato e pretensioso

Vindo da boca de um mentiroso

É dose pesada de puro enfado

Para a qual ninguém está vacinado

Deixa-os pensar que nos conhecem os passos

Que nos vigiam as vitórias e os fracassos

Nós vamos avançando a ritmo produtivo

Em total silêncio em busca do objectivo


sexta-feira, 14 de maio de 2021

Inútil Papelada

 


Procuro avidamente nas minhas anotações

Recordo-me que já te escrevi angustiada

As palavras que leio não passam de sermões

Necessito reorganizar esta inútil papelada

 

Lembro-me que já tinha anoitecido

A penumbra e o frio estavam de soslaio

Escrevi-te como quem procura algo perdido

Acompanhada pela vivacidade de um catraio

 

Era madrugada quando cessei a escrita

E, juro, guardei nesta gaveta onde procuro

Acredito que o universo por vezes me irrita

Para saber o quanto o meu temperamento é duro

 

Se me lembrasse do que escrevi na missiva

Iria dizer-to até o fôlego me abandonar

Sei apenas que eram frases inofensivas

Escritas para quem, gratuitamente, me quis magoar


domingo, 9 de maio de 2021

Faustino Sucateiro

 



O senhor Faustino, que há muito passou os setenta

Levanta-se cedo, apesar dos entraves que a idade acalenta

A pensão é baixa e mal dá para a mercearia e para a farmácia

O que o levou a tentar desenrascar-se com alguma audácia

Recolhe, de quem não precisa, o ferro velho para a sucata

Leva num atrelado preso à bicicleta, uma cena um tanto caricata

A mulher sempre trabalhou na agricultura, sem regalias para a reforma

Não ter uma pensão para ajudar, é algo de que não se conforma

Um ou dois dias por semana ainda labuta na terra poeirenta

O que lhe pagam não é muito, mas onde tapa já esquenta

Já tem fama de sucateiro, mas o Faustino não se importa

De manhã vai para o ferro velho, à tarde trabalha na horta

O filho, único e desnaturado, ganhou o mundo ainda rapazote

Nem no natal dá as caras, envia uma carta e um simples pacote

O senhor Faustino e a mulher já se acomodaram à ingratidão

O dia foi abençoado se não faltou saúde nem um pedaço de pão

De manhã cedo o atrelado segue caminho, guiado pelo seu condutor

O Faustino trata o ferro velho como os pincéis na mão de um pintor


quarta-feira, 5 de maio de 2021

Fé e Coragem

 


Anseio a fé dos que caminham sem enxergarem o chão

E a coragem dos que lutam desarmados

Anseio a fé dos que aceitam atravessar na escuridão

E a coragem dos que sorriem mesmo estando magoados

 

Anseio a fé dos que esperam por quem já se atrasou

E a coragem dos que falam sempre a verdade

Anseio a fé dos que amam a quem já os enganou

E a coragem dos que trabalham ladeados de ociosidade

 

Anseio a fé dos que saltam desconhecendo se chegarão a cair

E a coragem dos que choram com medo

Anseio a fé dos que decidiram que nunca vão fugir

E a coragem dos que vivem sem conhecerem o enredo


domingo, 2 de maio de 2021

Dia da Mãe ♥

 

(imagem da internet)

Mãe não pede, não exige, não reclama
Mãe só vive para aqueles que mais ama
Mãe não quer saber se o sol não vai brilhar
Mãe só descansa quando o seu filho pára de chorar
Mãe é quem dá sem pedir em troca
Mãe é quem se for preciso tira da sua boca
Mãe é aquela que nos enxuga as lágrimas quando teimam em cair
para o nosso rosto voltar a ver sorrir.

♥♥♥

Com um sorriso rasgado
E uma lágrima a cair
Mãe é este ser delicado
Que não tem um só jeito de sentir

Com os braços sempre à espera
Do primeiro desgosto do seu rebento
Mãe é o único porto de abrigo
Para o seu filho que está em tormento

Com uma mão sempre em alerta
Para guiar no meio da escuridão
Mãe é quem abdica do filho
Para no seu lugar sofrer a desilusão

Mãe não se descreve em palavras
Por mais belas que sejam de escrever
Mãe são os gestos e os silêncios
Que se traduzem no amor que tem para oferecer.

♥♥♥

Carrega uma vida no ventre

Abdica de tudo o que tem

Tristeza admite que não sente

Quem a conhece, chama-a de Mãe

 

O dia nunca termina

Para a defensora do bem

Combater o mal é a sua sina

Na guerra usa o apelido de Mãe

 

Segura no colo com todo o carinho

O pequeno rebento que há-de ser alguém

Ajuda a traçar o caminho

Porque o melhor guia dá pelo nome de Mãe

 

Atravessa qualquer estrada

Em busca do filho que não tem ninguém

A luta trava-a desarmada

Porque sofrer é a vida de Mãe.

♥♥♥

É a terra para a semente

Que vai crescer protegida

É a água que mata a sede

Ao pequeno começo de vida

 

É a estrada que guia os passos

Num caminho que já foi o seu

É os sorrisos e os abraços

Mais as estrelas do céu


É cada lágrima que insiste em cair

Do rosto do seu rebento

É a força que parece fugir

Em cada difícil momento

 

É a mão que leva amparada

O fruto do seu amor

É quem protege da trovoada

E enche o coração de calor

 

É o nosso maior tesouro

É quem sempre nos vai querer bem

É a prata e o ouro

Com um nome tão simples, Mãe! 



sexta-feira, 23 de abril de 2021

A Gratidão é uma Jóia

 



Sou grata por acordar de manhã

E ter oportunidade de me redimir

Sou grata pela minha alma sã

Por poder escolher e saber decidir

 

Sou grata pelo lar onde habito

Rodeada do amor a mim destinado

Sou grata pelo Deus em que acredito

E pelo dom da vida que me foi dado

 

Sou grata pelo trabalho, meu sustento

Por cada refeição que me sacia

Sou grata por não conhecer o tormento

E por conseguir escapar da hipocrisia

 

Sou grata pela luz do sol brilhante

E pelas gotas de chuva no meu quintal

Sou grata por não caminhar errante

E pela meta que me espera no final

 

Sou grata pelo terminar de cada dia

E por cada noite serena e abençoada

Sou grata pelo desconhecimento da covardia

A gratidão é uma joia ainda que desvalorizada


domingo, 18 de abril de 2021

A esperança é real

 


Aqueles que lutam na frente da batalha

E, diariamente, lidam com a mortalha

Merecem todo o respeito que lhes possamos dar

Aqueles que sustentam o peso da desilusão

Para que outros sigam na melhor direção

Merecem todas as orações que pudermos rezar

 

A todos aqueles que enfrentam o pior inimigo

Dão a cara, o corpo e a alma, conhecendo o perigo

Digo obrigado, sem vocês a luta seria desigual

A todos aqueles que não cessam na busca da vitória

E já decidiram que será feliz o fim da história

Digo obrigado, graças a vocês a esperança é real


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...