AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

Para utilização de qualquer poema, é favor contactar a Sociedade Portuguesa de Autores..pt.

A Autora,

Isabel Mendes (Isamar)

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

PORQUE TU FAZES


Porque não caminho só,
Como a farinha se junta à mó.
Porque o meu sonho não está perdido,
A minha etapa faz todo o sentido.

Porque Tu me permitiste nascer,
Para contigo a felicidade cultivar.
Porque por mim Tivestes que morrer,
De joelhos Te agradeço a chorar.

Porque a estrada por vezes queima
E faz arder os passos dos que Te querem encontrar.
Tu fazes a chuva cair com teima,
E a estrada fica tão fácil de caminhar.

domingo, 25 de setembro de 2011

NOVO RUMO


Um ano de emoções
Sentidas, vividas e partilhadas.
Obrigado por deixar em nossos corações
A sensação de pertencer a uma jornada

Que siga com a fé como missão
E leve em cada mão,
A força de seguir num rebanho.
Que seja prova que um coração
Filho de Deus, sua criação
Em nenhum lugar é um estranho.

Ficam para trás momentos,
Palavras, sentimentos
E uma missão cumprida.
Deseja-se para o caminho adiante
Que o Sol seja sempre brilhante
E que a paz lhe ilumine a vida.

Há que soltar as amarras
Quando Ele nos quer noutra morada,
Há que levar a Sua palavra
A cada ponto da estrada.

(nota: este poema foi feito para a "despedida" do Pe. José António Carneiro, que deixou hoje a paróquia de Águeda para rumar a Glória-Aveiro)

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Vamos!


Vamos jogar um jogo
Brincar com o fogo,
Vamos ganhar o mundo.
Vamos ser os heróis do dia,
Apostar em demasia,
Vamos! Prego a fundo.

Vamos fazer batota,
Com truques escondidos
E dividimos a quota.
Vamos! Sempre destemidos,
Assumir a parceria,
Nossa mais-valia,
Vamos ganhar a frota.

Vamos ser os ideais
De quem não sabe sonhar
Vamos levar o barco ao cais
Vamos! É tempo de ancorar.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

TEUS E MEUS


Teus braços, estendidos
Em meus braços, perdidos
Teus sonhos, em suspenso
Em meus sonhos de bom senso.

Teus ideais, sem fronteiras
São meus sinais e minhas barreiras
Teus segredos, tua sentença
São meus degredos, sem luz de presença.

Teus beijos, teus sentidos
São meus desejos proibidos
Teu amor, tua arma secreta
É o temporizador, é minha chegada à meta.

Tu e eu, embarcados
Em alto mar, naufragados
Eu e tu, mão na mão
P’la vida fora, quem guia é o coração.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

ASSUMI O CONTROLE



Tirei as estrelas do céu
E roubei as ondas do mar
Percebi que nem tudo pode ser meu
Mas é bom, volta e meia, sonhar

Apaguei a luz do Sol
E sequei as gotas da chuva
Sou eu quem possui o controle
Mesmo tendo a vista turva
 
Guardei o calor na gaveta
E o frio no meu coração
A vida, tirei-a de letra
Na escola da desilusão.