AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

Para utilização de qualquer poema, é favor contactar a Sociedade Portuguesa de Autores..pt.

A Autora,

Isabel Mendes (Isamar)

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Se eu te disser


Se te mostrar as minhas falhas
E souberes que não tenho medalhas
Será que ainda ficas comigo?
Se te contar as minhas indecisões
E que não sou dura nas decisões
Será que perco um amigo?

Se te disser que tenho medo
Que não te posso contar um segredo
Será que ainda ficas comigo?
Se souberes que não sou assertiva
Que me deixo ser passiva
Será que perco um amigo?

Se te mostrar que sei chorar
E por vezes me deixo derrubar
Será que ainda ficas comigo?
Se te disser que gosto da solidão
E do silêncio da escuridão
Continuarás a ser meu amigo?

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

O Senhor é meu Pastor

(imagem retirada da internet)


O Senhor é meu Pastor
Sei que nada me faltará
Confio no Seu amor
Sua mão me guiará

O Senhor é meu Pastor
Nada me faltará
Na alegria ou na dor
Sei que de mim cuidará

O Senhor é meu Pastor
Sei que nada me faltará
Sinta frio ou sinta calor
Meu Senhor comigo estará

O Senhor é meu Pastor
Nada me faltará
Ele é meu Benfeitor
A minha vida protegerá.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Bom senso



Olho por olho, dente por dente
Não me parece muito delicado
Iria andar meio mundo cego
E outro meio desdentado

Oferecer o silêncio como resposta
A uma ofensa ou indelicadeza
Pode não parecer uma boa proposta
Mas é um grande acto de nobreza

Aprender a não guardar rancor
Porque saber perdoar é uma virtude
Eleva o nosso bom humor
E devolve-nos um pouco mais de saúde.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Senhor, Rei da minha nação


(imagem retirada da internet)


Senhor, sinto-me a meio do caminho
O desânimo bloqueou-me a estrada
Senhor, deixo o meu coração sozinho
E continuo assim desarmada?

Senhor, não consigo alcançar a meta
Nem saber quão grande é o desafio
Senhor, sinto-me como uma marioneta
A quem sem piedade cortaram o fio

Senhor, sei que Te estou a desiludir
E que parece ser falta de fé
Mas Senhor, estou apenas a decidir
Se o trajecto será mais fácil a pé

Senhor, hoje não estive no meu melhor
Deixei-me questionar pela incerteza
Senhor, desculpa ter pensado o pior
E ter deixado entrar a tristeza.

Senhor, perdão pelo bloqueio
E pelas palavras sem noção
Senhor, é em Ti que eu creio
És Tu o Rei da minha nação.