AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

Para utilização de qualquer poema, é favor contactar a Sociedade Portuguesa de Autores..pt.

A Autora,

Isabel Mendes (Isamar)

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Ouvia-a falar

Imagem: internet

Foi a meio do caminho
Que a ouvi falar
Apesar de ser baixinho
Percebi que se estava a queixar

Pensei em parar para perceber
O porquê de tal lamento
Mas decidi não me envolver
Em histórias sem fundamento

Uns metros mais à frente
Alguém parecia me seguir
E como quem luta contra a corrente
Não me deixei distrair

Quando cheguei ao destino
Ela fingiu que estava perdida
A inveja é como um clandestino
Sempre a viver escondida.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

A minha Oração da manhã

Imagem: internet

Obrigado por mais um acordar
Obrigado pela noite segura
Sei que posso recomeçar
Graças à Tua ternura

Sei que foste o guardião
Que vigiou o meu sono
Contigo não receei a escuridão
Nem me senti ao abandono

Graças pela protecção nocturna
E pelo amanhecer saudável
Graças por me livrares da cafurna
Obrigado pelo teu amor infindável.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Foi no ano passado

Imagem: internet

Foi no ano passado
Numa véspera de feriado
Que nosso amor foi à penhora
Ainda lembro a data e a hora

Tu não fizeste drama
Mas também já tinhas fama
Eu fui-me logo abaixo
Senti que já não encaixo
Nada fez mais sentido
O jogo estava perdido

Percebi depois de uns dias
Que não pretendias
Voltar para o resgatar
Então ganhei coragem
Fui limpar a minha imagem
E regularizei o valor a pagar

O amor, esse, não veio
Deixei para caridade
Já chega de devaneio
"Prazer, daqui fala a dignidade."

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Nossa Senhora de Aparecida

Fonte imagem: internet


Numa pequena imagem de terracota
Te deste a conhecer ao mundo
Os pescadores não cederam à derrota
E Te trouxeram do rio fundo

Nossa Senhora da Conceição
Padroeira do lindo Brasil
Por Ti vivemos em devoção
Santa Imaculada do sorriso gentil

Nossa Senhora Aparecida
Assim és carinhosamente chamada
Que a Tua bondade seja merecida
E a fé por Ti sempre proclamada.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

O Cravo (poesia infantil)

Desenho de Lucília Mendes

Num canteiro bem bonito
Pendurado na janela
Mora um cravo vermelho
Na última casa da viela

Tem um cheiro muito doce
Que encanta quem lá mora
E todos o querem ver
A cada minuto e a toda a hora

É um cravo pequenino
Que dispensa apresentação
Gosta de estar à janela
E sonha um dia andar de balão.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Desculpa, Desculpa

Imagem: internet

Insistimos em pedir desculpa
E deixamos a culpa
Em banho-maria
As desculpas vão crescendo
Mas não vamos aprendendo
A evitar a asnaria

“Desculpa, não volta a acontecer”
“Desculpa”, falam sem dizer
Tanta desculpa podia ser evitada
Aprender e saber corrigir
O mal que se está a infligir
É uma matéria ainda não estudada

A desculpa tornou-se banal
Sem sentimento real
Apenas uma mera formalidade
Dizê-lo com arrependimento
Com tristeza e discernimento
É só para quem sofre de civilidade.

domingo, 24 de setembro de 2017

O Rico e o Pobre

(imagem: internet)


O rico, coitado, é bipolar
O pobre é mal educado
O rico teve mesmo azar
O pobre é sempre aluado

O rico tem veia poética
O pobre tem varizes
O rico gordo, é genética
O pobre comete muitos deslizes

O rico tem saldo devedor
O pobre é mesmo caloteiro
O rico desmaia com o calor
O pobre gosta de ser azeiteiro

O rico não diz palavrões
O pobre diz só asneiras
O rico não precisa guardar tostões
Graças ao pobre que lhe enche as algibeiras.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

És Tu, meu Deus

Imagem: internet

És a água que tenho para beber
E a sombra que me protege do calor
És o fruto acabado de colher
Nascido da mais linda flor

És a casa onde habito
E sei que será sempre o meu lar
Ages com a calma de um perito
Fazes da ventania uma brisa do mar

És o calor da minha lareira
Protecção para o frio do inverno
És tudo de qualquer maneira
Obrigado pelo teu amor paterno.

sábado, 16 de setembro de 2017

Beijo que é beijo

Resultado de imagem para cute kiss
Imagem: internet

Beijo que é beijo altera
E desespera
Quem nele se envolve
Beijo que é beijo alimenta
Rápido se contenta
E tudo dissolve

Beijo que é beijo provoca
Deixa a alma louca
E adormece o mundo
Beijo que é beijo aquece
E quase sempre enaltece
Um sentimento profundo

Beijo que é beijo alegra
E quebra a regra
Sem dar satisfação
Beijo que é beijo padece
Do mal que não adormece
De seu nome paixão.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Volta e meia

Imagem: internet

Volta e meia lá aparece
Um chico esperto qualquer
Dou meia volta e só encontro
Quem quer tacho para a sua colher

Volta e meia foge alguém
Que se meteu em embrulhadas
Dou meia volta e vejo bem
O quão difíceis sãs as encruzilhadas

Volta e meia somos alertados
Para os estragos que causamos
Dou meia volta e sinto apertados
Os estreitos laços com que jogamos.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Guerra Silenciosa

Imagem: internet
Não te deixes enganar
Pelo meu ar calado
Eu estou sempre a lutar
Contra um estranho enjaulado

As armas nem sempre existem
O inimigo é audaz e matreiro
Mas os fortes sempre persistem
Porque do medo nasce o guerreiro

É uma guerra silenciosa
De medo e precaução
Hei-de sair vitoriosa
Com direito a condecoração.

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

A minha Oração da noite

Imagem: internet
Senhor meu Deus obrigado
Por mais um dia terminado
Pelo seguro regresso ao lar
Perdoa a minha incerteza
Os momentos de fraqueza
Onde me deixei duvidar

Senhor obrigado pelo sustento
Que me provém o alimento
E me faz útil na sociedade
Hoje não conheci a doença
Graças à Tua presença
Obrigado pela generosidade

Meu Deus perdoa a lamúria
E quando deixo a fúria
Toldar a minha mente
Graças pela Tua paciência
Por me livrares da demência
Por mais um dia decente.

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Deixaste-me Sozinha

Imagem: internet

Parece que ainda foi ontem
Que me deixaste abandonada
O tempo passa depressa
Para quem já conhece a estrada

Deixaste um coração despedaçado
No lugar que outrora foi feliz
Desejei que fosses amaldiçoado
Por me tornares um ser tão infeliz

A vida continua as suas voltas
Iremo-nos voltar a encontrar
Agora já não tenho pontas soltas
Nem me lembro que te cheguei a amar

Se chegares a passar na minha rua
Lembra-te que já não te conheço
A vida que escolheste agora é tua
De falta de amor já não padeço.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Menina da Aldeia


Imagem: internet

Menina bonita
De saia de chita
E laço no cabelo
Sapato de verniz
Sorri quando se diz
Que prima pelo zelo

Menina prendada
De fácil risada
Fiel às boas maneiras
Parece nunca ter pressa
Porquê? Homessa!
Nunca diz asneiras

Menina sensata
Costureira nata
E olhos cor de avelã
Menina da aldeia
Com voz de sereia
E cheirinho a hortelã.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Voa Borboleta

Imagem: internet

Voa, voa borboleta colorida
Enfeita o céu de cor alegre
Borboleta, és a mais querida
Vês uma mansão num casebre

Tanta beleza concentrada
Num ser frágil e delicado
Borboleta, foste ensinada
A nunca viver enjaulado

Quando estás entre as flores
Não se distingue a mais bela
Borboleta aonde fores
Serás sempre a donzela.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

As Amigas (Poesia Infantil)

Autoria desenho: Lucília Mendes

A Tina e a Nónó
São duas amigas de verdade
Andam na mesma escola
E moram na mesma cidade

Gostam de brincar as duas
E de partilhar os brinquedos
Adoram as suas bonecas
E de montarem os legos

De tarde estão sempre a estudar
Ditados, contas e a leitura
São muito aplicadas
E só querem aventura

Andam de bicicleta
Jogam à bola e ao pião
São amigas inseparáveis
Amigas de coração.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

O Pombo Correio

Imagem: internet

Um pombo correio
Deixou-me um recado
Não sei de onde veio
Nem conheço o seu fado

Era um bilhete de amor
Escrito em letra bonita
De um qualquer admirador
Que com certeza se acha catita

Gostei do seu gesto audaz
E da terna declaração
Não conheço quem fosse capaz
De aconchegar o meu coração.

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Dia dos Avós

Imagem: internet

Avós são a ternura,
São os sorrisos a toda a hora
Avós são o refúgio dos netos
Porque é com eles que o amor mora.

Avós são o carinho,
São o mimo e a dedicação
Os Avós sabem sempre o caminho
Para guiar os netos com o coração.

Chegaram ao inverno da vida
Onde o Sol tem um calor diferente
Com vocês saboreamos melhor os dias
Os Avós são o nosso melhor presente.

O tempo traz sabedoria
Deixando para trás as dificuldades
As vossas rugas também nasceram da alegria
Como o arco-íris nasce das tempestades.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Gangue do Bem-querer

Imagem: internet

Quando não queres entrar no tom
Nem acrescentas nada de bom
Podes seguir o teu caminho
Aqui só ficam descendentes do bem
Que não desejam mal a ninguém
E respeitam sempre o seu vizinho

A maldade não tem lugar
Nem sítio onde ficar
A nossa casa é protegida
Somos seguidores da bondade
Do amor e da verdade
Dispensamos quem siga outra vida

Aprendemos a colher os cacos
A não responder com tacos
E a saber perdoar a ingratidão
Somos o gangue do bem-querer
Que ensina e quer aprender
Porque todos temos coração.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Um cheirinho

Imagem: internet

Hoje sinto um cheirinho doce
Que paira no ar por onde passo
Não sei se fui eu que trouxe
Ou se esqueceram algum pedaço

Cheira tão bem que acalma
E faz-me sentir conforto
Fico cheirosa até à alma
E segura em bom porto.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

O Jardim (Poesia Infantil)

Desenho feito por Lucília Mendes

No jardim da tia Laura
Há um canteiro especial
Tem as flores mais bonitas
Como nunca vi igual

São dez flores coloridas
Com azul, rosa e amarelo
Enfeitam tão bem o jardim
Pois nunca esteve mais belo

São regadas todos os dias
Com atenção e cuidado
São o orgulho da tia Laura
E de quem lhe está ao lado.


sexta-feira, 7 de julho de 2017

Ó Mundo

Imagem: internet

Ó mundo, mundo
Vais cada vez pior
Já bateste no fundo
E continuas a achar-te o melhor

Ó mundo, mundo
Onde vais com tanta pressa
Por favor para um segundo
Não vais cumprir nenhuma promessa

Ó mundo, mundo
Porque cultivas a maldade?
Vais acabar um vagabundo
Rodeado de crueldade

Ó mundo, mundo
A morte fez-se tua aliada
O teu aspecto é imundo
De ti já não se espera mais nada.