AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

Para utilização de qualquer poema, é favor contactar a Sociedade Portuguesa de Autores..pt.

A Autora,

Isabel Mendes (Isamar)

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Bateu uma Saudade

(Imagem retirada da internet)

Bateu uma saudade do antigamente
Do tempo a passar vagarosamente
Dos dias que não precisavam correr
Bateu uma saudade do meu velho relógio
Merecia ter levado um necrológio
Quando decidiu parar de bater

Juro que os ponteiros não aceleravam
Nem sequer se atropelavam
Com pressa de chegarem primeiro
Bateu uma saudade da lentidão
Que demorava a chegar o verão
Hoje o tempo virou trambiqueiro

Que emoção aguardar aquela carta
O carteiro vinha de mala farta
Até o envelope era guardado
Falava-se mais com a vizinha
Frente a frente, não pela telinha
Bateu uma saudade de ser antiquado.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...