AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

Para utilização de qualquer poema, é favor contactar a Sociedade Portuguesa de Autores..pt.

A Autora,

Isabel Mendes (Isamar)

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Ilude-me

(imagem retirada da internet)

Diz-me que o tempo não passa
Quando estás ao pé de mim
Mas por mais que diga ou faça
Sei que não é bem assim.

Diz-me que o Sol não se põe
Só porque te vais embora
E que te posso chamar amor
Quando quero e a qualquer hora.

Diz-me que partilhas minha dor
Para o meu coração não se afundar
Diz-me que vais ser o seu mentor
Para o resto da vida o guiar.

Diz-me que quando me vires chorar
Não vais sentir pena de mim
Só vais minhas lágrimas enxugar
E deixar meu rosto mesmo assim.

2 comentários:

  1. Belo poema! Não está aqui envolvida alguma intenção de se poder ver também um apelo?
    JM Ferreira

    ResponderEliminar
  2. Olá Sr. José,
    Este também é um poema mais antigo.
    A intenção foi apenas tentar retratar o desgosto (de amor) de alguém.
    Beijinhos,
    Isabel

    ResponderEliminar