AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

Para utilização de qualquer poema, é favor contactar a Sociedade Portuguesa de Autores, através do email: atendimento@spautores.ptatendimento@spautores.pt.

A Autora,

Isabel Mendes (Isamar)

terça-feira, 2 de setembro de 2008

NOITE

Noite tão fria e escura
De uma solidão abominável
Porque me fazes sentir insegura
E com um medo insaciável

Porque insistes em usar o preto
Se não te favorece em nada
Precisas de abrir horizontes
E deixar de ser antiquada

Tens por ama a silenciosa lua
Que nem sempre está no melhor lado
Apesar de saber que já não precisas
Tem sempre um especial cuidado

Peço-te ó noite infinita
Que não te demores cá fora
Era melhor voltares a casa
P’ra calar minha alma que chora.

Sem comentários:

Enviar um comentário