AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

Para utilização de qualquer poema, é favor contactar a Sociedade Portuguesa de Autores, através do email: atendimento@spautores.ptatendimento@spautores.pt.

A Autora,

Isabel Mendes (Isamar)

terça-feira, 26 de outubro de 2010


Cidade situada à beira-rio
Rio que lhe deu o mesmo nome
Fértil nos terrenos que cultiva
Que ao povo vai matando a fome

Mãe de tradições artesanais
Dignas de uma cidade de excelência
Entre os cestos, as rendas e os bordados
Continuamos a provar-te obediência

Dá música aos seus e a quem a visita
Pelas mãos das bandas, das orquestras e do fado
Preserva e constrói o património
Por um povo que da cultura é aliado

Cidade de boa boca
Que até os pastéis igual se quiseram chamar
Adoça o gosto aos aguedenses
E conquista os outros pelo paladar

Não foge à excepção das grandes cidades
Que com festas e romarias enche as ruas
Embeleza os costumes que herdou
Já que as glórias serão sempre suas

A duas rodas conheceu o mundo
E deu a conhecer um povo de lealdade
Que o futuro vá fluindo a par com o rio
Para Águeda se superar como cidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário