AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

Para utilização de qualquer poema, é favor contactar a Sociedade Portuguesa de Autores..pt.

A Autora,

Isabel Mendes (Isamar)

domingo, 27 de julho de 2008

MÃE, NUNCA SABEMOS DE MAIS...

Quero dizer-te ó mãe querida
Que não basta saber sorrir
Para te poderes alegrar
Que não basta saber sentir
Para enganares o olhar

Quero dizer-te ó mãe querida
Que não basta saber sofrer
Para poderes chorar
Que não basta saber gemer
Para poderes orar

Quero dizer-te ó mãe querida
Que não basta saber ferir
Para sentires a dor
E que não basta o querer dividir
Para sentires amor

Mas digo-te ó mãe querida
Que podes até ser doutorada
Nas amarguras da vida
Que vais continuar enganada
Por essas lágrimas que te deixam perdida

Posso não saber nada
Do que te acabei de dizer
Mas podes crer, ó mãe amada
Que és a minha razão de viver

Sem comentários:

Enviar um comentário