AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

Para utilização de qualquer poema, é favor contactar a Sociedade Portuguesa de Autores, através do email: atendimento@spautores.ptatendimento@spautores.pt.

A Autora,

Isabel Mendes (Isamar)

segunda-feira, 14 de julho de 2008

SOLIDÃO

Nos momentos de solidão
Em que a tristeza é o que mais reina
Penso em tudo, não penso em nada
Sou mais eu, tenho mais teima

Não oiço nada em meu redor
Só um silêncio que até magoa
Vejo-te a passar sem me olhares
Caminho sem rumo, ando à toa

Penso que tão só
Me vou abaixo, vou partir
Vou deixar um estado de alma
Vou para sempre, vou a sorrir

Solidão que és tão cruel
E tão meiga sem saber
Talvez sem ti não soubesse nada
Nem soubesse como é bom viver

Sem comentários:

Enviar um comentário