AVISO

É expressamente proibida a cópia ou reprodução em parte ou na totalidade do conteúdo deste blog, sem prévia autorização, estando reservados os direitos de Autor.

Para utilização de qualquer poema, é favor contactar a Sociedade Portuguesa de Autores, através do email: atendimento@spautores.ptatendimento@spautores.pt.

A Autora,

Isabel Mendes (Isamar)

sexta-feira, 4 de março de 2016

O Humilde Trabalhador

(imagem retirada da internet)


O humilde trabalhador
Trabalha com rigor
Sem medo faz o seu caminho
Cumpre as tarefas com afinco
Não deixa nem um vinco
Debaixo do olho do meirinho

Prepara-se para mais uma labuta
Enfrentando a sua própria luta
Para levar o pão à mesa
O trabalho raramente é valorizado
Bem distribuído ou bem pago
Mas a esperança é filha da braveza

A entidade patronal
Do alto do seu pedestal
Dita as leis, pouco sensatas
O simples trabalhador
Que já se amigou com a dor
Diz que sim, sem ler as atas

Decide-se fazer uma greve
Quem não teme, não deve
E boicota-se o trabalho
A chefia fica revoltada
Com a prole assalariada
E pondera cortar o baralho

Dizem que quem trabalha é burro
Ou então é muito casmurro
E não queira aprender a liderar
Chego à conclusão
Na minha humilde opinião
Que há mas é muito burro a chefiar.

Sem comentários:

Enviar um comentário